Textos

A POESIA DO SERTÃO

A natureza pinta
Suas aquarelas
No arrebol do sertão

Quando a poesia se inscreve
Ao entardecer
Invadindo minha solidão

E as mãos fortes do sertanejo
Agradecem a beleza
Desenhada na imensidão

E o grão adormece
Sob o solo ardente
Aguardando a germinação

O guizo no animal
Anuncia seu desespero
Em busca da alimentação

Orações varam a noite
E sob o sol seguem em fila
Na esperançosa procissão

E a vida ressurge verde
Na metamorfose da seca
Quando as gotas caem pelo chão



(O por do sol fotografado no sertão, Barrocas-BA)
Rosalvo Abreu
Enviado por Rosalvo Abreu em 19/04/2019
Alterado em 22/04/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria - Rosalvo Abreu). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários