Textos

VENTRE EXPATRIADO

Negro,
ventre da África
na América
A pátria que você
pariu
te cospe
te deserda

Negro,
palavra de sílabas
doces e quentes
de mãos e pés
de Tarsila
de belos quadris
que pariu o Brasil

Negra,
rainha dos fonemas
de realidades dissonantes
doídas e impensáveis
Ensina-nos a liberdade!

Solta o teu gemido
imperativo
ordem necessária
expressa no grito
da tua poesia


(Homenagem a poetisa baiana Jovina Souza, professora e militante negra. Sua poesia é um chamado urgente, reflexivo e libertário. Suas palavras são lâminas afiadas, poéticas que cortam, mas constroem um novo olhar)
Rosalvo Abreu
Enviado por Rosalvo Abreu em 16/04/2019
Alterado em 17/04/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria - Rosalvo Abreu). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários