Textos

ORDINÁRIA

Ano após ano
todos os anos
na trincheira
do ordinário
escorre a vida
no cotidiano

Na fila, no banco
no supermercado
na limpeza da piscina
no ônibus lotado
na faxina da casa
na tarefa escolar
no beijo, no sexo
e no boleto a pagar

É a vida sem retóricas
na flor que se abre
no Sol que nasce
e no balanço do maré
em pleno luar

Na conversa fiada
na morte inesperada
no abraço da amada

Que bacana!
Como não vi antes
a beleza da vida
cotidiana?
Rosalvo Abreu
Enviado por Rosalvo Abreu em 17/02/2019
Alterado em 19/02/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria Rosalvo Abreu). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários