Textos

CAMARÁ

Giro, giro, giro pelo mundo
E no meu gingado suado
Escorre o suor sagrado
No meu grito de paz e de dor

Na vida dou minha esquiva
A meia-lua solta ou a queixada
No meu giro de cabeça
Dou uma volta ao mundo
E vejo muita fome
E uma aldeia tão desigual

Vou de bênção,
Chapa, ponteira,
Martelo e esporão

Carrego nas mãos
O aconchego dos irmãos
No peito a resistência
E nas pernas  e nos braços 
O gingado de um povo
O giro de compasso
E o meu suave abraço

E no meu olhar
A força da inclusão
Ginga meu irmão
Gira pelo mundo
Iê! camará!
Minha saudação


(Minha homenagem ao Mestre de Capoeira - Moa do Katendê - assassinado banalmente)
 
Rosalvo Abreu
Enviado por Rosalvo Abreu em 11/10/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria Rosalvo Abreu). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários