Textos


DIÁLOGO SOBRE A FELICIDADE

Quem manda no coração do poeta?
Ninguém.
Somente a emoção!

Canibal....
Come da própria carne.
Bebe do próprio sangue
E se extasia no próprio gozo!
Como a paixão primordial

Agora você já sabe...
Poesia não compra pão...
Mas alimenta muito bem

E eu...
O que é que vou fazer agora?
Simplesmente acabou...
A felicidade nos matou
Meu bem!

A música é perfeita
A melodia é perfeita
E o belo não se discute
Se deleita.

Vou ouvir mais de 400 vezes
A mesma melodia
Pois diz aquela velha ideia
Que ainda me incandeia

A luz é necessária
Porque existe a escuridão.

O belo porque existe o feio
E o que embeleza a música
São os silêncios da melodia
Disse alguém um dia.

Mas entender a beleza
Do contraditório, amigo,
É para poucos...
E aceitar mais ainda
Quando a felicidade se finda.

Por isso condeno a busca
Pela felicidade plena,
Total e contínua...
Pois seria um tédio
Levar a vida muito a sério.

O tempero da vida, amigo,
É ser um pouquinho infeliz
Cuidado!
A tua felicidade está por um triz

"Felicidade demais só maltrata,
é muito amor
o excesso me mata"

(Este poema nasceu de um bate papo poético através do "ZAP" com o amigo maestro dos versos - Adriano Carôso - conversávamos sobre planos para 2018, quando ele me perguntou: você conhece "cansado de ser feliz"? Então, ele me mandou um áudio e de imediato fui ouvi. Daí por por diante tudo rolou em torno dessa linda canção musicada e cantada por Kleiton e Kledir. O autor da bela letra da canção é o escritor gaúcho Fabrício Carpinejar)
Rosalvo Abreu
Enviado por Rosalvo Abreu em 07/12/2017
Alterado em 07/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria Rosalvo Abreu). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários