Textos

O QUARTO

Esta cama com os lençóis leves e macios
E aqueles quadros tão geometricamente
Presos nos espaços vazios da parede
Estão vívidos pelas suas lembranças

Os travesseiros soltos e volumosos
Sobre o colchão de renovados sonhos
O desenho da imensidão na parede
Aguardam a tua chegada desejada

Aquela cortina de tecido entreaberta
E os livros sobre a mesinha lá no canto
Descrevem a materialidade desse quarto
Revelando por si só a sua utilidade

Mas o seu significado mais íntimo
O sentido das coisas que agora vejo
Ficou perdido na falta da sua presença

Em breve o penduricalho de penas
Como um rito sagrado dos deuses
Estará novamente preso sob a porta
Devolvendo a alma para este espaço.
Rosalvo Abreu
Enviado por Rosalvo Abreu em 01/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria Rosalvo Abreu). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários